Síndrome da Morte Súbita do Lactente (SMSL): causas e prevenção

Síndrome da Morte Súbita do Lactente (SMSL): causas e prevenção

Por Babysits, 4 minutos de leitura

Síndrome da Morte Súbita do Lactente (SMSL): você pode ter ouvido falar, tem medo, mas não sabe realmente o que é e como reduzir o risco. Por isso, decidimos convidar um pediatra neonatologista que trabalha em uma maternidade francesa para conversar conosco, para que você saiba mais sobre essa síndrome.

Síndrome da Morte Súbita do Lactente (SMSL), também chamada de síndrome da morte súbita infantil ou morte do berço, refere-se à morte súbita de um bebê previamente saudável. Na Babysits, achamos que esse era um tópico importante a ser abordado, para que você pudesse entender melhor essa síndrome e aprender passos importantes para evitá-la o máximo possível. Todas as informações e conselhos que você encontrará neste artigo vêm de um profissional, portanto, continue lendo para ver o que o pediatra neonatologista (pediatra especializado em cuidados neonatais) disse durante nossa entrevista.

O que é SMSL?

Como mencionado acima, a SMSL também é conhecida como síndrome da morte súbita infantil ou morte do berço. O pediatra com quem falamos explicou: “esta síndrome ocorre quando uma criança saudável, com idade entre 0-6 meses, morre repentinamente durante o sono. A morte é inexplicável porque nenhuma causa pode ser encontrada, e sempre acontece quando o bebê está dormindo, à noite ou durante um cochilo.” Portanto, não ocorre quando o bebê está acordado.

Bebê dormindo

Quão comum é a SMSL?

Muitas campanhas de prevenção foram organizadas em alguns países, especialmente na década de 1990, para encorajar as famílias a pararem de colocar seus bebês para dormir de barriga para baixo. Desde essas campanhas, uma clara redução da síndrome foi observada.

No Brasil, não existem dados precisos sobre o número de mortes, uma vez que ainda existem muitas subnotificações. No entanto, estima-se que esse número fique acerca das 3.000 mortes por ano.

Como prevenir a SMSL?

O risco de síndrome de morte súbita infantil pode ser reduzido seguindo algumas etapas e ações.

  • Em primeiro lugar, é importante saber que você não deve colocar seu bebê para dormir de bruços. Deitar o bebê de costas reduz o risco de morte inesperada em 75%. Portanto, a primeira dica é colocar seu bebê para dormir de costas em um colchão firme, e claro sem travesseiro.

  • Coloque seu filho na cama em um “saco de dormir para bebês”, sem cobertores extras. Não sobrecarregue a cama com brinquedos ou bichinhos de pelúcia e limite-se a um bicho de pelúcia na cama. *O pediatra também mencionou "fazer o bebê dormir em um quarto não superaquecido entre 18°C e 20°C e mantê-lo no quarto dos pais à noite até os 6 meses".

  • Se alguém em sua casa fuma, é importante não fumar dentro de casa. Partículas de cigarro também podem ser um fator de risco.

  • Por fim, observe que ter seu bebê dormindo com você aumenta muito o risco. De fato, o médico nos explicou: “você pode mover-se em cima dele durante a fase do sono profundo, e isso é muito perigoso”. Portanto, não durma com seu filho na mesma cama. Uma alternativa é o co-leito, que consiste em adicionar um berço extensível à cama dos pais. Isso permite que você fique perto de seu bebê sem o risco de sufocá-lo.

prevenção da SMSL

Novos produtos para redução de risco

Alguns produtos, como berços conectados, por exemplo, foram criados para reduzir o risco de morte súbita de bebês. Esses berços conectados têm microfones embutidos que detectam o choro do bebê para virá-lo automaticamente e permitem que o bebê seja enrolado de modo que fique deitado de costas.

No entanto, o pediatra com quem falamos nos disse que esses tipos de objetos não são necessariamente muito mais úteis do que as recomendações mencionadas acima. Se você seguir essas recomendações, um berço conectado não o ajudará a reduzir ainda mais o risco de SMSL. Além disso, esses objetos podem ser muito estressantes para os pais e, portanto, estressar a criança no final.


Esperamos que essas informações e conselhos tenham ajudado você a entender mais sobre a SMSL. Entre em contato conosco pelo Instagram e/ou Facebook se tiver alguma dúvida. Você também pode ler nossas outras dicas para aprender sobre outros tópicos.