Como lidar com crianças com autismo?

Como lidar com crianças com autismo?

Por Babysits, 7 minutos de leitura

Você conseguiu um novo trabalho de babá e a criança tem autismo? Se você nunca cuidou de uma criança com autismo, trouxemos algumas dicas para ajudar você a ter a melhor experiência possível neste momento.

O que é o autismo?

Os transtornos do espectro autista afetam o sistema nervoso e normalmente são identificados durante os três primeiros anos de vida de uma criança. Eles são considerados transtornos do desenvolvimento neurológico e envolvem dificuldades na aquisição, retenção ou aplicação de habilidades ou conjuntos de informações específicas.

Cada criança com autismo é única, mas elas podem ter sintomas em comum e apresentar dificuldades em fazer algumas coisas, como:

  • Comunicar-se de forma verbal ou não-verbal;
  • Interagir e se relacionar com pessoas desconhecidas;
  • Mudar a rotina.

Como a babá pode se preparar para cuidar de uma criança com autismo?

1. Aprenda sobre o autismo

Como as crianças com autismo têm várias particularidades como as citadas acima, é preciso se capacitar e estudar sobre o assunto antes de trabalhar como babá cuidando de uma criança com autismo. Dessa forma você poderá aprender como lidar com ela da melhor forma possível e ajudar em seu desenvolvimento.

2. Pergunte aos pais como é a rotina da criança

Como dissemos anteriormente, crianças com autismo podem ter dificuldade em mudar a rotina, o que pode atrapalhar a sua percepção de mundo e, por consequência, o seu desenvolvimento. Portanto, antes de começar o trabalho, sempre pergunte aos pais como é o funcionamento da casa e principalmente, como é a rotina da criança para que a sua chegada não cause tantos impactos no ambiente.

Além disso, pergunte aos pais se a criança tem alguma sensibilidade exacerbada em relação a sons, cheiros ou gostos. É comum que crianças com autismo tenham a sensibilidade mais apurada para algumas coisas e podem apresentar reações fortes e viscerais a sons muito altos, por exemplo.

O que não dizer quando estiver cuidando de uma criança com autismo?

Como as crianças com autismo entendem muitas mensagens que são passadas a elas de forma literal, é necessário prestar atenção na forma como você se comunica, para que não faça promessas que não pode cumprir, ou não faça com que ela se confunda em determinadas situações. Por isso, aqui estão alguns exemplos do que não deve ser dito para uma criança com autismo:

1. Deixa que eu faço

É normal falarmos "Deixa que eu faço" para uma criança quando a vemos tentando abrir algum pote ou algo que precisa ser desenroscado e ela não consegue, por exemplo.

Quando estiver falando com uma criança com autismo, não se deve falar dessa forma, pois ela não entenderá que não está conseguindo naquele momento, ela entenderá que essa é a verdade absoluta, ou seja, ela nunca conseguirá fazer isso na vida. Por isso, em vez de falar "Deixa que eu faço", prefira dizer "Isso é difícil, vamos fazer juntos" e realize a atividade junto com a criança, se possível pegando na mão dela.

2. Prometer algo que não pode cumprir

É comum aos pais de crianças típicas dizerem a elas "Se você fizer isso, vou te dar um doce", e acabar não dando aquele doce no final das contas. Se você falar isso para uma criança com autismo e no final não der o doce que prometeu, você deixará a criança confusa e ela passará a não confiar mais em você.

3. Dar opções quando não é opcional

Atividades como comer e tomar banho devem ser feitas todos os dias e não são uma opção para as crianças. Por isso, na hora de fazer essas atividades, não faça perguntas que possam dar a ideia de que a criança pode escolher, por exemplo: "Vamos tomar banho?"

Se você fizer essa pergunta para a criança, ela vai entender que pode dizer: "Não, não vamos." Mas esse não é o caso, ela tem que tomar banho. Por isso, você pode dizer por exemplo: "Qual brinquedo você quer levar para o banho?" Dessa forma você irá dizer enfaticamente para a criança que está na hora do banho e a escolha dela será direcionada para o brinquedo e não para a atividade em si.

Como a babá pode ajudar no desenvolvimento de uma criança com autismo?

Como o autismo influencia no desenvolvimento das crianças, a identificação precoce dele é fundamental para um tratamento mais efetivo.

O tratamento do autismo tem como principal objetivo a estimulação da criança, para que ela se desenvolva da melhor forma possível dentro de suas limitações e deve levar em conta as necessidades de cada criança, porque como já dissemos anteriormente, cada criança com autismo é única.

Entre as várias formas de tratamento estão as terapias: psicoterapia, fonoaudiologia, fisioterapia e terapia ocupacional, por exemplo. Porém, o tratamento não deve se limitar a isso. Todas as pessoas do círculo social da criança podem fazer sua parte ajudar no seu desenvolvimento e isso inclui a babá que irá cuidar dela. Aqui estão algumas coisas que a babá pode fazer para ajudar:

1. Exercícios físicos

Os exercícios físicos devem ser feitos em formato de brincadeiras, como pega-pega, "morto ou vivo" ou coreografias e são muito importantes para o desenvolvimento de habilidades sociais e motoras. Lembre-se de não impor uma única forma de brincar e sempre deixar espaço para a criança conduzir a atividade, o que faz com que ela desenvolva sua autonomia.

2. Atividades sensoriais

Estimular atividades sensoriais é uma ótima ideia. Porém, lembre-se que algumas crianças com autismo podem ser hipersensíveis a sons, texturas e à sensação de aperto, por exemplo. Por isso é tão importante entender mais sobre a criança antes de começar a trabalhar. Algumas atividades sensoriais que você pode fazer com a criança são: bolinhas de sabão, brincar com areia, massinha de modelar, pintura e desenho.

3. Atividades educacionais

As atividades educacionais são aquelas que envolvem algum tipo de raciocínio lógico, como escrever o nome, saber quantos anos tem, relacionar formas, reconhecer cores e assim por diante. Uma ótima maneira de estimular o desenvolvimento cognitivo das crianças com autismo é por meio de um livro interativo e personalizado.

O livro personalizado deve ser montado de acordo com a faixa etária da criança e deve conter atividades que ele possa "resolver" tocando e interagindo com o livro. Você pode montá-lo com folhas de EVA e usar velcro para permitir que a criança grude e desgrude as peças. Neste vídeo aqui você pode conferir mais detalhes sobre o livro personalizado.

4. Interação com a criança

Em todas as atividades que citamos acima é importante sempre manter o contato visual com a criança e estimulá-la a também olhar nos seus olhos. Isso cria um ambiente confiável e a criança associa esses momentos de diversão à interação social. Assim, ela passa a entender que se relacionar com outras pessoas/crianças é algo positivo e prazeroso, o que é um grande avanço em seu desenvolvimento social.


Esperamos que essas dicas ajudem você em seu primeiro trabalho com uma criança com autismo e se você já tem experiência com crianças com necessidades especiais, atualize seu perfil para que os pais saibam disso. Se você está procurando uma babá para o seu filho com necessidades especiais, confira também o nosso artigo sobre como contratar uma boa babá para seu filho com necessidades especiais.